Oráculo Jogo do Ganso

Oráculo Jogo do Ganso
Faz o teu jogo! Contacta-me!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Intuição

Costumam perguntar-me o que quer dizer intuição...
Se pesquisarmos no dicionário, por exemplo, encontramos:
intuição - acto de intuir; intuir > conjugar; latim intueor, -eri, olhar para, contemplar, considerar, examinar; v. tr. Deduzir ou concluir por intuição = pressentir. (http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=intuição)
Muitas vezes, as pessoas usam a palavra instinto e estão a referir-se a intuição.
Como podemos ver pelo significado, atrás referido, a palavra pode ser usada para indicar que estou a contemplar algo, desde uma paisagem a escutar um orador, etc. Ora, isso quer dizer que estou a atentar ao que me rodeia, e não se refere ao que escuto interiormente, mas de fora para dentro; o considerar, examinar, reforça esse conceito, como uma perspectiva de intuir, e no entanto, o que, geralmente, as pessoas querem dizer quando utilizam o termo 'intuição' tem mais o sinal de pressentimento.
Gostaria de, ainda, mencionar, que dentro deste conceito há a considerar que pessoas ao usar o vocábulo, a sua mente encaminha-se para o presságio, premonição; no entanto, outras sentem mais como – é tipo uma “lembradura”, algo que como que “cai” sem saberem de onde vem.
Ora, quando se utilizam os vocábulos desta forma, na comunicação entre si, as pessoas ficam com ideias destorcidas e nem sempre apreendem o que o outro quer dizer, exactamente porque o que o emissor transmite, refere-se a um conceito e o receptor recebe de outra... e, ficam pontas por atar...
No contexto, em que as pessoas pedem para esclarecer, é mais no segundo sentido – o do pressentimento, o de entender intuição até mesmo para além do pressentimento, direi assim.
Gostaria de me debruçar, antes de avançar noutro aspecto.
O que é um pressentimento?
Pressentimento – sentimento vago ou instintivo do que há-de suceder (http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=sentimento).
Ora, 'instintivo' quer dizer que a origem é o instinto; o pressentimento é instintivo?
Se o virmos da seguinte forma: impulso espontâneo independente da reflexão; tendência, aptidão inata.(http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=instinto), então, o pressentimento é algo que a pessoa sente, por ter uma capacidade inata (?), por tem um impulso espontâneo...que foi fruto de que tipo de estímulo (?), na medida que não é resultado duma reflexão. Tendência de seguir o quê???
O que nos sugere: de onde vem o pressentimento?
Neste passo, sinto vontade de parar, e escutar os vossos pareceres...
“Escuto” a vossa mente... a trote, a cavalgar, a fluir... a reflectir...
Todas as considerações são verdadeiras. Não se pode excluir umas em detrimento de outras. Porquê? Por serem ponderadas as suas validades. Porque cada perspectiva tem a sua realidade.
No entanto, quando me colocam a questão – sobre o que é a intuição - é feita a alusão ao facto de sentirem coisas, que não sabem de onde vêm e que nem sempre têm o rosto de presságios. Pode ser um sinal sobre como tomar uma decisão, fazer uma escolha, por ex; uma imagem sobre um sonho (desejo), assim como premonições; vêm do mesmo “canal” ou através de...
Quando penetramos nesta área, temos de referir outras capacidades que o ser humano possui, nomeadamente a mediunidade, ou se preferirem, “ser-se sensitivo”, é uma expressão com menor carga conotativa, preconceituosa.
Quanto á mediunidade, podem, “viajar” para este link: http://www.geb-portugal.org/Admin/Ficheiros/REVISTAV187.pdf , pois é uma breve amostragem do conceito. Allan Kardec, no meu ponto de vista, é quem melhor tem contribuído para clarificar fenómenos ancestrais; como base é muito esclarecedora, após que cada ser escolhe o caminho a seguir, segundo as várias teorias que hoje existem (cada ser humano tem a sua Verdade, sendo esse o caminho, que é uma construção em movimento). No entanto, ele descodificou muitas “nuvens” que existiam, e continuam a existir, como abriu muitas portas... assim como Freud e tantos outros, contribuintes do não dogmatismo e obscurantismo.
O mesmo referia, que todo o ser humano tem esta capacidade, no entanto, nuns está mais desenvolvida do que noutros, como que tendo uma determinada missão terrena, através dessa capacidade (veremos isso noutro momento).
Iria continuar a explanar o tema, no entanto, senti vontade de repousar a escrita e lançar-Vos um desafio:
coloquem todas as questões surgidas após a leitura desta partilha – todas as questões; se preferirem de forma mais pessoal, podem fazê-lo através do mail, ou aqui mesmo, no sentido que outros possam desfrutar do resultado...
Enviar um comentário